16 de julho de 2016

Dossiê - Justiceiro

Mais uma nova serie de posts no blog!! Quem é O Justiceiro? Quem o criou? Onde ele Habita? Quando e Onde foi sua primeira aparição nos quadrinhos? Quais são suas melhores HQs? Por que ele mata pessoas? Hoje no Globo Repórter UTTU.























Ola leitor! Vinícius escrevendo aqui. Hoje trouxemos uma nova serie de posts, apresento a vocês o dossiê. A ideia dessa serie é explicar de maneira rápida a criação e origem de personagens, atores, diretores, franquias... (tudo que envolve cultura pop em geral) e além de falar da origem, recomendar HQs, Games, Filmes, entre outras mídias sobre o assunto escolhido. 

Mas esse não é o primeiro dossiê do blog, antes do Justiceiro tivemos o dossiê sobre o Vingador Estrelado no post Especial Capitão América: Guerra Civil | Dossiê - Capitão América, feito em parceria com o blog Experienciando, eles fizeram sobre o Vingador Dourado, A.K.A Homem de Ferro.










Esse é um bom post para quem não conhece o Justiceiro e quer saber sua origem, criação e recomendações de HQs do personagem, ou se deseja apresentar esse personagem para alguém, por que  não mostrar esse post?

Esse post foi escrito em parceria entre Eu e o Arthur, agora vou deixar que Arthur conduza o post. Então chega de firula e Hey Ho Let´s Go!!

N.V. = Nota do Vinícius (editor do post).

Sim, é verdade, eu existo!! Sou eu, o Arthur (nota: não sou uma criação do subconsciente do Vinícius. Sabe aquele cara que ele citou alguns posts atrás, que ia postar alguma alguma coisa no blog e nunca postou, então esse sou eu!!) eu lhes trago um dossiê (sendo meu primeiro post) bem batuta e supimpa, sobre esse personagem do barulho, que apronta altas confusões, matando muita gente por onde passa. Preparem-se, o textão está para começar!!

A Criação e Origem do Punisher:


De vilão para anti-herói a história por trás das HQs do Justiceiro

Senta que lá vem a história...


Criado por Gerry Conway e desenhado por Ross Andru, O Justiceiro fez sua primeira aparição na revista Amazing Spider-Man #129 (O Espetacular Homem-Aranha), de fevereiro de 1974, sendo aliado de um dos inimigos do cabeça de teia, o chacal. A historia gira em torno do Chacal contratar alguém, para pôr fim à vida do amigo da vizinhança. Sendo assim, ele contrata o Justiceiro e o convence de que o aracnídeo é o culpado pela morte de Norman Osborn (N.V: Morte causada pela luta entre o Aranha e Duende Verde, mesma luta em que a Gwen Stacy morre que aconteceu em The Amazing Spider-Man #121–122 Junho de 1973). Convencido que o Homem-Aranha é o assassino, o Justiceiro se prepara para emboscá-lo e matá-lo. Após essa aventura, o personagem ficou no limbo por 12 anos, aparecendo apenas em histórias de outros heróis. Até que em 1982, ele ganhou destaque quando apareceu na hq do Demolidor (Daredevil #181), escrita por ninguém mais, nada menos que Frank Miller. Com o aumento da popularidade do personagem ele ganhou uma minissérie própria, Justiceiro: Circulo de Sangue, lançada em 1986

A ideia original do roteirista Gerry Conway era chamá-lo de The Assassin, O Assassino em Português, mas a Marvel não gostou do nome. Stan Lee, na época editor da revista, achava que o nome traria uma conotação negativa muito forte para o personagem. Então sugeriu a troca do nome para "Punisher" traduzindo em português para Justiceiro. Este nome foi usado em um dos robôs do Galactus criado por Lee, mas o personagem apareceu uma vez e sem muita importância. Lee não foi o único nome de peso que contribuiu para o surgimento de Frank Castle, o visual e o logo com a caveira que é usado por ele foi feito por John Romita Sr., uma das maiores lendas da Marvel, que na época era editor de arte, baseando-se num desenho inicial feito por Conway do personagem em que a caveira era pequena no peito do Anti-herói.








N.V: Geery Conway, John Romita Sr. e Ross Andru. Nem preciso dizer que essa hq do Homem Aranha está mais que recomendada!

Para criar a historia de origem do Justiceiro, Conway copiou baseou-se em  um herói, que aparecia em livros de aventura lançados em 1969, The Executioner (o Executor), escrito por Don Pendlenton, na qual o protagonista Mack Bolan, um veterano da guerra do Vietnã, buscava vingança contra a máfia pela morte de sua família. Coincidência talvez? A origem do herói da Marvel só foi revelada aos leitores anos mais tarde é incrivelmente parecida com a de Mack. Francis Castiglione, mas talvez você deva conhecê-lo como Frank Castle, nascido no Queens, Nova York. A família Castiglione de origem italiana, tradicionalmente gerava homens durões, e eram muito católicos, com alguns padres na família. 

Frank foi criado nesse ambiente, ele seguia os valores morais de sua família, e teve base para a formação de um caráter honesto, trabalhador, religioso e colocando a família acima de tudo na vida, estava estudando para ser um padre quando percebeu que não conseguiria perdoar aqueles que faziam o mal. Ele precisava puni-los. O jovem Castle seguiu carreira militar e se tornou Capitão dos Mariners (Fuzileiro Naval dos EUA), lutando no Vietnã (N.V: em versões mais recentes, ele lutou no Afeganistão), para defender os Estados Unidos, tornando-se o melhor soldado que um exército poderia ter. Ele se especializou em técnicas de combate diversas, armamentos, explosivos, sobrevivência, veículos de guerra, e tudo mais que um homem precisa saber para ganhar uma guerra inteira sozinho.

















Quando Castle voltou da guerra, se casou com Maria e com ela teve dois filhos, um casal, Lisa Castle e Frank Castle Jr. Infelizmente as coisas só pioraram depois disso. Um dia, ele foi com sua família ao Central Park para um piquenique. Era um dia perfeito, até que ouviu-se tiros. Gangues de traficantes se enfrentavam disputando poder, e um dos homens fugia pelo parque, na direção dos Castle. A família teve o azar de testemunhar o assassinato do homem, e para eliminar as testemunhas os assassinos atiraram em todos eles. Todos foram atingidos, os policiais fizeram a contagem de mortos e eram cinco (a família e o traficante), mas inesperadamente Castle despertou. Ele estava vivo, escapou da morte por muito pouco, e pelo resto da vida desejaria ter morrido naquele dia com sua família. Ele jamais se recuperou, alegando que morreu naquele dia. 
















Os assassinos ainda tentaram acabar com Castle quando ele estava no hospital, mas ele reagiu a tempo matando um dos homens. Ele recebeu a proteção da polícia, e tentou levar os assassinos de sua família para a cadeia, identificou os suspeitos e descobriu que se tratava da família Costa. Mas os mafiosos tinham álibis forjados, e alguns policiais foram comprados. A justiça teve sua primeira chance e falhou. Castle então se juntou ao repórter McTeer, que queria usar a história para reerguer sua carreira. Mas por mais que Frank fizesse eles continuariam impunes, a justiça não seria feita. Nesse dia, ele assumiu a identidade de "O Justiceiro" e resolveu punir os malfeitores também dentro dos Estados Unidos usando suas habilidades como militar para conduzir sua doce vingança contra a máfia, jurando matar todos os responsáveis pela morte de sua família e eliminando outros criminosos em sua cidade. Uma guerra pessoal que jamais teria fim. O resto é história em quadrinhos e vocês já devem imaginar... Muita, muita, mas muita morte.


HQs recomendadas:


Após um resumo da origem do Punisher, preferi tirar algumas partes para não estragar a leitura de ninguém e evitar dar grandes spoilers sobre a trama de uma das hqs recomendadas (não quero falar quem faz o que, onde, como e quando faz) pois o foco principal do post está nas recomendações dos quadrinhos do personagem e algumas dessas HQs recomendadas tem o foco na origem desse incrível anti-herói. Lembrando que as revistas estão em ordem de publicação de acordo com os anos.

N.V: Antes de começar a lista de HQs recomendadas por nós, eu queria fazer uma menção honrosa a um crossover muito bom entre a Marvel e DC.

Menção Honrosa:

  • Justiceiro & Batman: Cavaleiro Mortíferos


Lançada originalmente em 1994 com o titulo de Punisher & Batman: Deadly Knights publicado pela DC Comics e Marvel Comics, essa hq chegou ao Brasil em julho de 1996 com o nome Justiceiro & Batman: Cavaleiros Mortíferos e foi publicada pela editora Abril. Com o roteiro de Chuck Dixon, desenhos de John Romita Jr e arte final de Klaus Janson.

N.V: Antes desse crossover, o Punisher participou de outra hq com o Batman, mas não era o Bruce Wayne, era o Azrael (o cara que substituiu o Batman na HQ A Queda do Morcego).


Nesse one shot (HQs que contêm somente um capítulo, não fazendo parte de uma série) o Justiceiro continua na caça ao Retalho, voltando para Gotham City. Um confronto intenso com alguns gângsters acaba chamando a atenção do Batman (Bruce Wayne), que confronta Castle e quase o derrota. Retalho, juntamente com o Coringa, pretende dominar todas as gangues de Gotham, causando vários confrontos entre os vilões. Cada um a sua maneira, com a ajuda de Microchip, o Justiceiro tenta matar o máximo possível, enquanto Batman, com a ajuda de Robin, terá que se esforçar para detê-lo. 



Obs: Olha, o Coringa ali no cantinho inferior esquerdo da hq.

Feita a devida menção honrosa dessa HQ, vamos para a lista!!

  • Justiceiro Capa Vermelha Salvat (O Justiceiro Ataca Duas Vezes e Circulo de Sangue)


Nesse encadernado do Justiceiro da coleção Os Herois Mais Poderosos da Marvel, lançado pela Salvat, traz duas histórias: O Justiceiro Ataca Duas Vezes, essa que foi primeira aparição do personagem nos quadrinhos (N.V: Já falei dela na parte da criação do personagem), e Círculo de Sangue, a primeira minissérie própria do anti herói.

Circulo de Sangue foi lançada em 1986, escrita por Steven Grant e desenhada por Mike Zeck (N.V: essa hq já tinha sido publicada no Brasil em Superaventuras Marvel #74 - 78 em 1988), Circulo de Sangue é uma HQ que resistiu bem ao teste do tempo, considerando roteiro e arte. 

A história mostra o Justiceiro lutando contra criminosos na cadeia e nas ruas, enquanto flerta com uma misteriosa organização que parece ter os mesmos interesses que ele. Mais relevante que isso, a série completaria as últimas lacunas da história do Justiceiro, elencando Retalho como seu arqui-inimigo definitivo e finalmente lhe dando o nome de Frank Castle.

  • Retorno ao Grande Nada


Escrita por Steve Grant e desenhada por Mike Zeck no inicio dos anos 90, esta Graphic Novel mostra Frank Castle lembrando do seu passado na Guerra do Vietña, ao investigar uma gangue de traficantes e descobrir que um dos lideres é o sargento Cleve Gorman, um homem que serviu na mesma época que ele no Vietnã , e que já era envolvido com o tráfico naquela época. 

Dessa vez levando as coisas um pouco mais para o lado pessoal, Castle começa uma jornada de perseguição em busca de Gorman, que o levará ao local onde os dois se conheceram, conhecido como o Grande Nada. Não existe nenhum momento de descontração durante a história, ela é densa e depressiva durante todo o tempo até o momento de catarse no final da história.






  • Ano Um

Lançada em 1994, Justiceiro: Ano Um é uma minissérie em 4 edições que conta com o roteiro de Dan Abnett e Andy Lanning e desenhos de Dale Eaglesham. A história, como o nome já diz, trata de mostrar como foi a chacina onde Frank Castle perdeu sua esposa e os dois filhos, e a trajetória de um homem destruído até decidir se tornar o maior pesadelo dos criminosos.

A história é tida como a origem definitiva do personagem no universo regular da Marvel, e além de mostrar como Frank Castle se tornou o Justiceiro, traz ainda a origem de um dos seus mais recorrentes vilões: o Retalho.

A polícia e os jornais relataram a morte de Maria Castle e seus dois filhos em um tiroteio ocorrido no Central Park de Nova Iorque. O único sobrevivente da família, Frank Castle, viria a se tornar um vigilante. Todavia, o que se sucedeu imediatamente após a chacina tem permanecido um mistério. Pouco se sabe e quase nada foi revelado. Testemunhe agora a história não contada, os detalhes desconhecidos da morte de uma família americana e do nascimento de um vigilante conhecido como... O Justiceiro!


  • Nascido Para Matar


Em nascido para matar (Born no original), escrita por Garth Ennis, os acontecimentos dessa história se passam muito anos antes do assassinato da família de Frank. Nela é mostrada Frank Castle como o capitão de pelotão dos marines, em plena guerra do Vietnã. 

A HQ é composta por quatro edições, cada uma se passando em um dia na guerra, abordando um ponto de vista de Castle, que da sinais que sua psicopatia já era presente diante dos horrores da guerra, sendo o assassinato de sua família o estopim para que ele abraçasse de vez a sua psicopatia e saísse punindo todos que merecem.

Uma as melhores, se não a melhor hq do Punisher. Considerado por muitos a origem definitiva do personagem.  A arte de Darick Robertson consegue transpor todo o clima tenso  de horror e medo na guerra do Vietnã. O texto foi muito bem escrito por Ennis, dando uma ótima construção de personagem e de trama, que deixa o leitor preso e maravilhado até o final da história. Destaque para as capas de cada edição que são sensacionais.


  • Bem vindo de volta, Frank. 


A trama da hq se desenrola ao longo de 12 edições, ela mostra Castle de volta a Nova York, querendo mandar uma mensagem de boas vindas para os bandidos, mostrando que ele tá de volta na parada (N.V: Essa sinopse tá quase parecendo um filme da sessão da tarde só faltou um "esse herói da pesada"). 

Essa HQ também escrita por Garth Ennis (sério se na hq tiver o nome desse cara, não pense duas vezes e leia essa parada o mais rápido possível), possui ótimos diálogos, muito humor negro e diversas mortes criativas.

Inclusive o Justiceiro de 2004 usou a cena  do combate entre Castle e o Russo de forma bem parecida com a de bem vindo de volta, Frank. Boa parte da trama do filme é baseada na HQ.

A Netflix adaptou magistralmente a cena do telhado no confronto físico e ideológico entre o Justiceiro e o Demolidor. A HQ foi aclamada por publico e crítica e é considerada por muitos um dos melhores títulos sobre o personagem. 


























  • Justiceiro Max (Garth Ennis)


Após o cancelamento do excelente selo Marvel Knights, a casa das ideias cria um selo chamado Max, onde as história são mais adultas, com um tom mais sombrio e com temas violentos e perturbadores, dando início a melhor fase do justiceiro de todos os tempos.

Assim como Frank Miller está para Demolidor, Garth Ennis está para Justiceiro. Não há ninguém que entenda melhor o personagem que ele. Lançada de 2004 a 2009, com 65 edições, ele fez seu nome no hall do personagem. Ennis entregou um dos arcos mais memoráveis de Frank Castle, com destaque para “Barracuda“, onde nos entregou um dos melhores vilões do Justiceiro. Barracuda é o cara mais doente e escroto que Frank Castle já teve o desprazer de conhecer.



A HQ se passa fora da continuidade do resto do universo Marvel, então você poder ler sem se preocupar com nada do que está acontecendo. A ideia da criação do selo foi justamente publicar histórias independentes e que atraíssem novos leitores, enquanto, ao mesmo tempo, não se preocupassem em segurar na violência.




  • Zona de Guerra: O Retorno de Mama Gnucci

Após Ennis ter saído do título do Justiceiro Max ao longo de 60 edições, ele retornou para a minissérie Justiceiro: Zona de Guerra, fechando um arco iniciado em Bem Vindo de Volta, Frank. Quando Castle aparentemente dá fim à vida da mafiosa Mama Gnucci. Porém, agora ela está de volta em busca de vingança. A hq tem a mesma pegada da historias anteriores escritas por Ennis, ou seja, um prato cheio para fãs na ultima história escrita por seu melhor escritor (Embora divida alguns fãs devido à arte ser meio diferente, numa pegada parecida com Bem vindo de volta, Frank).



A HQ é praticamente um revival do ínício de Ennis pelo personagem, e inclusive conta novamente com os desenhos de Steve Dillon. Em uma história recheada (como sempre) de mortes bizarras e muito humor negro, temos o melhor Justiceiro de todos os tempos em sua última aventura pelas mãos de seu melhor escritor.




  • Fase Greg Rucka (Punisher V8 2011 - 2012)

O Justiceiro volta novamente às origens, agora sob comando de um roteirista conhecido exatamente por mandar bem com histórias policiais: Greg Rucka.


Diferente das encarnações anteriores, principalmente a de Garth Ennis, o Justiceiro de Rucka é calado, soturno, quase uma lenda urbana. A história é praticamente protagonizada pelos dois detetives que investigam o caso de um massacre realizado em uma festa de casamento onde só a noiva sobrevive. Pelo menos no início, as aparições do Justiceiro são pontuais e silenciosas, fazendo parecer até que ele é um coadjuvante na própria revista. Mas não se engane, quando resolve agir, vemos o mesmo Justiceiro de sempre.


Com o tempo a trama nos conduz a uma cruzada de vingança perpetrada pela tal noiva, revelada como a sargento Rachel Cole-Alves. Ao ver que a história da moça é praticamente uma revisitação da sua, Castle decide ajudá-la na vingança. Ou não?


N.V: Lançado pela Panini em 5 Edições.


  • O Justiceiro Nova Marvel 


Durante anos, Frank Castle travou uma guerra contra o Crime em Nova York com uma série de grandes armas. Mas quando uma cidade no México é apagada do mapa por uma substância química misteriosa, ele faz suas malas e se muda para a Costa Oeste.

Frank rastreia a substância até Los Angeles e enfrenta a poderosa gangue Dos Soles – mas eles têm uma arma chocante! Agora, o Justiceiro precisa partir para cima da IMA, ao mesmo tempo em que a tomada de Los Angeles pelos Dos Soles começa e uma guerra irrompe nas ruas!



A cidade arderá em chamas, ou pode Frank enfrentar fogo com fogo? E mesmo que ele consiga derrotar a IMA e os Dos Soles, estará na mira do novo Comando Selvagem!


N.V: Escrita por Nathan Edmondson (também escreve a excelente HQ da Viuva Negra V5) e com a Arte de Mitch Gerads, essa fase do Punisher foi publicada no Brasil recentemente em 2015 pela Panini e completa em 3 edições. PANINI PAGA NOIS!!


O Justiceiro em outras mídias da cultura pop:


Assim como vários outros personagens de HQ, O Justiceiro já teve varias adaptações para diversas mídias, nos cinemas ele teve três adaptações.

The Punisher de 1989 com Dolph Lundgren, no qual as únicas cenas memoráveis eram: O discurso do Frank Castle "Me responda, estou anos perguntando o por quê. Por que os inocentes estão mortos e os culpados estão vivos? Onde está a justiça? Onde está a punição? Ela está em mim" e uma cena tosca de um tiroteio no tobogã, ela é tosca mas é divertida.

The Punisher de 2004 com Thomas Jane, esse que talvez seja o filme mais controverso do justiceiro, já que mudaram algumas partes da origem do personagem e o vilão Retalho mal interpretado por John Travolta, o que levou os fãs arrancarem seus cabelos assistindo a esse filme (pelo menos as cenas de ação são legais, como a luta no apartamento).



Punisher: War Zone de 2008 com Ray Stevenson, foi a terceira tentativa de adaptar o personagem, primeiro filme do Marvel Studios (embora quase ninguém se lembre disso e a Marvel também não queira lembrar hehehehe), um fato curioso é que esse foi o primeiro filme de "herói" dirigido por uma mulher. com cenas de ação muito boas, o filme tem o Retalho, um vilão clássico das historias do Punisher, Micro que é o personagem que fornece as informações e armas para Castle. Mas tudo isso não foi o suficiente para garantir uma boa obra, pois o filme possui um roteiro fraco, mas como um filme de ação é bem legal. Todas essas adaptações não foram bem recebidas pelas críticas e menos ainda pelos fãs.

Punisher : Dirty laundry de 2012 foi um curta de ação lançado no YouTube pelo produtor Adi Shankar, que teve a volta de Thomas Jane no papel e até então, era a melhor adaptação do personagem. Muitos fãs tiveram a esperança de um novo filme com Thomas encarnando Castle mais uma vez, o que não aconteceu. Você pode assisti-lo abaixo.


Recentemente  (em março de 2016) o personagem apareceu na série Demolidor da Netflix, ele roubou a cena do início ao fim, interpretado pelo ator Jon Berthal, ator que ficou conhecido como Shane de The Walking Dead. Essa foi a melhor encarnação do personagem até agora, Berthal conseguiu transparecer bem todo o sofrimento e a psicopatia do personagem  numa pegada mais realista, trágica e dramática para o herói, lidando com coisas como estresse pós-traumático e luto. Foi unanimidade, que essa é a melhor adaptação, sendo muito bem recebido pelos fãs e elogiado pela critica. A Netflix já anunciou uma série do Justiceiro, mas sem data de lançamento. Vamos aguardar!

N.V: Um dos melhores momentos da HQ da Guerra Civil é protagonizado pelo Justiceiro resgatando o Homem Aranha, após uma luta contra o Homem de Ferro.
AJUDA O MALUCO QUE TÁ DOENTE!!

    Se você gostou desse dossiê do Justiceiro, não se esqueça de compartilhar com seus amigos, principalmente aqueles que não conhecem esse personagem, curtir a nossa página no facebook, para não perder os próximos dossiês e também dar uma força para o blog crescer. 

     Isso é tudo pessoal!!

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário